"Brincadeira" foi filmada e caiu nas redes sociais; universidade ainda não se manifestou
publicado em 14/03/2014 14:14 - Atualizado em 14/03/2014 18:31 | Erica Roveder

Um vídeo postado nas redes sociais está gerando polêmica e dividindo opiniões na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O material foi gravado no último dia da Calourada 2014, realizada para recepcionar os novos estudantes, e mostra quatro garotas se beijando, simulando cantadas e posições sexuais. Em determinado momento, uma das jovens tira a blusa e leva ao delírio a plateia de maioria masculina que, aos gritos, pede que ela tire o sutiã. Veja o vídeo.
Questionados sobre o vídeo, muitos estudantes se mostram contrários a esse tipo de comportamento, que, para eles, mancha a imagem da universidade e dos próprios alunos. Outros, por sua vez, dizem que encaram o ato como uma brincadeira. “Elas não foram obrigadas a nada e o pessoal também levou tudo na brincadeira, como tem que ser. Não entendo o porquê de tanto falatório”, comenta Fernando Chicovit, de 22 anos.
Gregório Alberto Fernandes, de 19 anos, e Luiza Alves da Cruz, de 20 anos, que assim como Fernando estavam no ginásio, também dizem que a situação é normal, já que não passa de uma brincadeira, uma sátira das cantadas que normalmente são feitas por homens e que nunca funcionam. "Todos estavam se divertindo", dizem.
NÃO GOSTARAM - Uma estudante que preferiu não se identificar diz que esse tipo de exposição é "grotesca", pois as garotas do vídeo "não têm nenhum respeito, gostam de fazer apologia ao sexo e à banalidade, e querem aparecer". “Eu repudio esse tipo de comportamento que denigre a imagem dos estudantes de bem, que só querem se formar", comenta.
Para Melissa Maranhão, esse tipo de atitude serve apenas para expor a universidade. “Eu estava lá, mas saí antes do acontecido e acho que esse tipo de situação não leva a lugar algum, apenas à desmoralização feminina”. Na sua visão, as meninas que participaram do ato queriam ganhar popularidade entre os estudantes, já que  entraram agora na universidade.
Já o estudante Henrique Gabriel Morais afirma que "não acha nem certo e nem errado" o que ocorreu. Ele acredita que não há "nada de mais" no vídeo e que toda essa polêmica será em vão, pois a sociedade vai se esquecer das imagens em breve.
UFSCAR - Procurada para comentar a "brincadeira"- que se assemelha ao Miss Bixete, desfile das calouras realizado na USP até o ano passado - a UFSCar ainda não se pronunciou.

PUBLICIDADE

Envie para um amigo

Seu nome:

Seu e-mail:

E-mail do(s) destinatário(s):

Mensagem:

Código de verificação:

Envie seu comentário

Seu nome:

Seu e-mail:

Comentário:

Código de verificação:

Veja os comentários sobre esta notícia:

JR disse às 17/03/2014 12:37:

Concordo em gênero, número e grau com todas as letras escritas pelo ANDERSON. Muitos que aqui criticaram são hipócritas, tem ou já tiveram atitudes moralmente mais questionáveis, para ainda se julgam superiores.

mario disse às 17/03/2014 10:36:

emm video completo http://masnoticiasparavos.blogspot.com.ar/2014/03/estudiantes-de-primer-ano-del-ufscar.html

jose disse às 16/03/2014 16:40:

anderson, teve a mesma prova no mesmo dia só com homens e mulheres. é exatamente como você diz...

jose roberto bosso disse às 16/03/2014 16:24:

Realmente lamentável. Por que não usarem essas festas para alertar os jovens do uso das drogas e do sexo. Fora que isso nos faz lembrar os tempos da antiga crécia. onde uma multidão ficava nas arquibancadas se delirando com as lutas. Realmente a UFSCAR deve e tem que dar uma satisfação a respeito ou melhor pela falta de respeito. Tenho dó dos pais dessas jovens.

andré disse às 16/03/2014 07:43:

Só estavam ensaiando a abertura da copa do mundo...

Anderson disse às 15/03/2014 23:08:

.João Carlos, apresente seus argumentos, dizer que os lares brasileiros geram atitudes como essa é extremamente polivalente e abrange, inclusive, o seu

João Carlos disse às 15/03/2014 20:27:

Ridículo. Esses meninas levarão para o resto de suas vidas essa marca. O mais triste é ler declarações infelizes de pessoas como esse ANDERSON acima. Lares nascem sem estrutura alguma em nossos dias e geram atitudes e comentários como esses.

Yasmim disse às 15/03/2014 18:06:

A única coisa que pensei quando vi as meninas no chão se esfregando uma na outra foi em como isso foi ridículo e desnecessário. Elas serão as profissionais que teremos no mercado de trabalho daqui pelo menos 4 ou 5 anos. Essas quatro ficarão conhecidas como as que se beijaram e simularam sexo no dia do trote. Sei lá, acho que um dia quando estiverem mais maduras elas se arrependerão de terem feito isso.

Janaina disse às 15/03/2014 17:42:

Bom isso é uma vergonha... e Tenho medo do que tem por vir!! Ridiculo!!

Anderson disse às 15/03/2014 14:15:

A meu ver o único problema no vídeo não é a brincadeira em si, mas sim o estardalhaço feito pelos garotos que, aparentemente, nunca tiveram contato visual com relações sexuais entre duas mulheres. Fora dali o problema é a tentativa conservadora de implementar leis cristãs em um Estado laico, uma vez que não existe qualquer outro motivo para o repúdio uma vez que não houve atentado violento ao pudor, foi apenas uma simulação - que se fosse entre homens e mulheres não seria tão "chocante", certeza.

Maya disse às 15/03/2014 09:01:

O que será que os pais dessas garotas acharam disso????? Talvez sintam orgulho das criaturas!

celia maria disse às 15/03/2014 08:52:

O mais triste é que isso vão ser profissionais amanhã e com que cara vão poder impor respeito?????? Porque não fazem um trote como fez uma moça que fez a doação dos cabelos para perucas de quem necessita por causa de uma doença tão triste??????? Ou então arrecadam alimentos para quem precisa?????? Essa baixaria é motivo de comemoração???????

ENDRIGO ZAPPATA disse às 15/03/2014 03:25:

Triste Lamentável ter estás notícias estampadas nas mídias. Trote hoje caiu como termo pejorativo em um cultura que infelizmente que não acaba. Uma cultura de violência de soberba de alunos que se rotulam veteranos alunos prepotentes e arrogantes que não entendem que dentro das Universidades são fomentadas novas ideias propostas para um Brasil melhor. Em todos rincões da nação o Trote foge das regras “habituais” de alegria e confraternização para expor violência e enaltece o racismo. O Governo Federal deveria articular meios para decretar a proibição urgentemente do tais trotes no país. Sejamos INTELIGENTE uma vez só se não for pedir demais. Façamos trote de conscientização para o desuso do álcool, drogas e outras substancias ilícitas Trote sim! Só se for solidário estendendo as mãos para camadas que precisam de ajuda que ficam nestas inúmeras periferias do nosso Brasil!

Grilo disse às 14/03/2014 20:11:

Essa turma toda é o futuro do nosso país.Tornar-se-ão "grandes profissionais".