Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, homicídios cresceram 120% no primeiro semestre deste ano
publicado em 21/09/2012 19:51 - Atualizado em 25/09/2012 15:42 | Fernanda Andrade

Os índices de criminalidade cresceram em Araraquara no primeiro semestre de 2012 na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública divulgados esta semana. Os homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) foram os que mais cresceram - 120%.
Crimes como o tráfico de entorpecentes, roubo, estupro e furto também estão no topo da lista com números significativos.
De acordo com os dados, o índice de homicídio saltou de cinco casos entre janeiro de julho de 2011 para 11 no mesmo período deste ano. Os casos envolveram principalmente jovens com menos de 30 anos com envolvimento com outros crimes, como o tráfico de drogas.
Na sequência de crimes com aumento de casos aparece o tráfico de entorpecentes com 184 casos este ano e  147 casos no ano passado, ou seja, 25,17% a mais. Este número, no entanto, é daqueles que, quanto maior, melhor porque significa que a Polícia tirou das ruas mais drogas e mais traficantes.
Os casos de roubos, de forma geral, aumentaram 24,09%, passando de 303 para 376 ocorrências do primeiro semestre de um ano para o outro.
O número de estupros também ajudou a piorar o índice de criminalidade entre um ano e outro - 32 casos foram registrados em Araraquara de janeiro a julho deste ano, enquanto no ano passado foram 26 registros. O aumento, neste caso, foi 23,1% de casos.
Os furtos também ganharam destaque: foram 1432 registros em 2011 contra 1665 em 2012, números que contabilizaram um aumento de 16,27%.
Segundo o delegado Elton Negrini, da delegacia de Investigações Gerais, o fator que mais contribui para o aumento no índice de criminalidade na cidade é o uso de entorpecentes. “As drogas acabam gerando uma necessidade que leva ao caminho do crime. Normalmente a maioria dos crimes acabam sendo consequências das drogas”, diz Negrini, referindo-se ao fato de que, para manter o vício, o dependente químico acaba se envolvendo em furtos e roubos. Além disso, as dívidas e brigas por conta da droga também podem acabar em tentativa de homicídio e homicídio.
Sobre a vulnerabilidade de alguns lugares específicos da cidade, o delegado afirma que não há uma regra. “Algumas áreas onde há maior número de comércio e lugares onde há um poder aquisitivo maior normalmente aparecem como principais atrativos da criminalidade, mas não é uma regra. Em alguns lugares a frequência é maior, em outro é menor, mas o crime está em todo lugar”, explica.
O delegado também salienta que é importante a população manter medidas simples de segurança para se proteger. “É preciso andar sempre atento, ao chegar em casa prestar atenção se não tem nenhum indivíduo suspeito pela rua, ter contato com vizinhos também é importante para se perceber mudanças de hábitos e, no caso de qualquer suspeita, é fundamental chamar a polícia”, orienta.
RESULTADOS – O delegado salienta que apesar do número de crimes ter aumentado na cidade, o trabalho dos policiais e o empenho através de investigações mostram a resolução de muitos crimes. “Realizamos operações e investigações que nos mostram vertentes que levam à prisão de autores e pessoas envolvidas em muitos crimes, a polícia está empenhada em manter a ordem pública e transmitir segurança à população”, esclarece Negrini, que acrescenta. "Divulgar os resultados positivos do trabalho contínuo da polícia é importante para a população se sentir mais segura e protegida”, conclui.

 

PUBLICIDADE

Envie para um amigo

Seu nome:

Seu e-mail:

E-mail do(s) destinatário(s):

Mensagem:

Código de verificação:

Envie seu comentário

Seu nome:

Seu e-mail:

Comentário:

Código de verificação: