Em busca do tetra, Bernardinho exalta reviravolta no ano

Em busca do tetra, Bernardinho exalta reviravolta no ano

Nos sete primeiros jogos da Liga Mundial, ganhou apenas dois

Mal havia começado a temporada e, em junho, a seleção brasileira masculina de vôlei já era dada como morta. Nos sete primeiros jogos da Liga Mundial, ganhou apenas dois e perecia fadada a uma eliminação precoce, ainda na primeira fase. Mas aí vieram quatro vitórias em cinco partidas, a classificação para a fase final, conquistando depois a prata no torneio.
Pouco mais de 100 dias depois, o Brasil está classificado para sua quarta final consecutiva de Mundial de Vôlei, com uma campanha quase perfeita e nenhuma desconfiança sobre o time montado por Bernardinho. Nem o fato de Murilo, principal nome da equipe, claramente estar jogando aquém da sua melhor condição física, coloca dúvidas sobre a qualidade da seleção.
“Nenhum time passou por tantas provações como o nosso. Desde um início ruim na Liga Mundial, quando fomos muito criticados, depois fizemos vários jogos de vida ou morte ainda na Liga e, depois, aqui no Mundial, enfim, chegar aqui nos dá muita satisfação”, comentou Bernardinho, após a vitória por 3 sets a 2 sobre a França, neste sábado, em Katowice.
Entre os segredos dessa reviravolta está a confiança que Bernardinho depositou no novato Lucarelli, que seguidamente tem sido o melhor pontuador da equipe. Contra a França não foi diferente: foram 22 pontos. Os centrais Lucão e Sidão, juntos, anotaram outros 29, dando opção de qualidade para Bruno.
“Para nós, foi um jogo um pouco chato, porque eles defendem muito, mas nós tivemos paciência, principalmente no tie break, quando conseguimos abrir um pouco de vantagem para conseguir essa vitória”, comentou Lucão.
A França, que em nenhum momento foi apontada como favorita a uma medalha antes do Mundial, acabou surpreendendo e chegou à semifinal como primeira do seu grupo na terceira fase – o Brasil avançou em segundo. Mesmo assim, pelo peso da camisa, o time brasileiro era favorito e mostrou isso em quadra.
“Pretendemos continuar uma história que começaram a escrever lá atrás, e colocar o nome do Brasil na história do esporte coletivo através de um tetracampeonato mundial consecutivo. Sonhamos isso desde abril, quando nos encontramos em Saquarema, e somos motivados a todos o nosso sacrifício, a nossa luta e isso cria algo muito bom entre nós. Queremos muito esse título amanhã”, assegura Bruno.

 

Deixe seu comentário:


*